Tatiana de Macedo e a expectativa de correr a Maratona de Chicago

A economista Tatiana de Macedo, 40 anos, é uma das quatro atletas da Inthegra que vão correr a Maratona de Chicago, em 13 de outubro. Será sua primeira major e a segunda vez na distância. Tatiana correu a Maratona de São Paulo em 2016. Sua relação com a corrida começou há alguns anos, quando morava em Brasília, onde tinha o hábito de caminhar num parque da cidade. Um dia, um conhecido que estava lendo um livro do preparador Nuno Cobra disse a ela que todo mundo conseguia correr o mesmo tanto que andava. “Se você anda, corre”, disse ele. Tatiana confessa que não sabe se afirmação realmente está no livro, mas o fato é que naquele dia ela começou a correr. Confira!

“Em 2010, eu ainda morava em Brasília e haveria uma maratona de revezamento em comemoração aos 50 anos da cidade. Um grupo de colegas de trabalho da minha irmã ia fazer a prova e colocou nós duas no grupo. Foi nossa primeira corrida de rua e eu adorei o clima.

Naquela primeira corrida eu fiz 5 km. Correr 10 km é quase que natural e comecei a correr provas nessa distância logo depois da primeira e durante muito tempo fiquei por aí. No final de 2011 me mudei para o Rio, que tem famosa meia maratona. E já que eu estava morando aqui…

Depois dessa primeira meia, comecei a revezar provas de 10km e meias até ficar praticamente só com as meias. Para mim, é a melhor distância. Se você correr em um ritmo bom é o suficiente para cansar e te deixar satisfeito (a mim, pelo menos). Mas não tem o desgaste, nem se tem que fazer os sacrifícios que uma maratona exige.

Na Maratona de São Paulo

Mas quem corre sempre começa a pensar em como seria fazer uma maratona.  E em 2016 decidi fazer uma, mas, com medo de não completar e criar muito auê e não dar certo, fiz a de São Paulo. Aqui pertinho, em uma cidade especial para mim e com gente para comemorar ou me consolar. Deu tudo certo.

Mas o treino para a maratona é puxado e eu não me animaria a fazer de novo se não fosse algo diferente. Sempre entrava no sorteio para a Maratona de Berlim, mas não ganhava. Ano passado, estava zapeando pela internet, quando vi que tinha aberto o sorteio de Chicago. Pensei: não vou ser sorteada mesmo…mas fui. Então, esta será minha segunda maratona. E me sinto preparada.

Ainda estou começando os treinos este ano. Por enquanto, está tranquilo. Mas isso, no geral, depende muito da época. Tem fases em que o trabalho me demanda mais, outras está mais tranquilo. Independentemente de como esteja, eu cumpro a planilha da semana. Me acostumei a treinar tarde da noite. Por outro lado, não gosto de acordar cedo. Por isso, não concebo acordar às 4h, 5h da manhã. De forma geral, encaro a corrida e meus treinos como algo que tenho de fazer, então tenho que arrumar tempo. Mas não como uma obrigação precisamente. Não pode ser um peso. Mas não sei como vai ser quando começarem os treinos mais longos para a prove de Chicago”.